Após anos, A Favorita continua sendo a melhor novela de João Emanuel Carneiro



Essa semana uma onda de nostalgia pairou sobre os noveleiros com a estreia de A Favorita no serviço de streaming da Globo. Novela que começou com baixos índices de audiência, mas que conquistou o público e se tornou um grande fenômeno, a trama marcou a estreia de João Emanuel Carneiro no horário nobre.

Com algumas lembranças, mas tudo muito vago, assistir A Favorita como se fosse a primeira vez me fez entender que a novela é boa do início ao fim. O estilo gato e rato de Donatela e Flora - Claudia Raia e Patricia Pillar em seus melhores momentos - nesse início empolga demais, e assistindo agora sabendo a verdade, faz tudo ser ainda mais interessante. João Emanuel Carneiro soube conduzir a história de uma maneira genial, e entende-se o motivo do público sempre esperar mais do autor na trama seguinte.


Os personagens de A Favorita vão crescendo com o passar dos capítulos, mas a trama central é incrível desde o início. E ainda assim, os núcleos secundários não são ruins. Temos personagens interessantes e que quebram o clima denso da trama central. E de alguma maneira, tudo se conecta em algum momento.

2 comentários:

  1. Mantenho o meu mantra que a base da novela é tão forte que as tramas secundárias não fazem falta. Mas logicamente manter uma obra como "A favorita" no ar só com a trama principal seria um risco.
    Lucas - www.cascudeando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria mesmo, e acho que o autor não ia conseguir se sustentar por quase 200 capítulos somente com a trama central. E na minha memória, as paralelas eram bem piores do que realmente são.

      Excluir