depois daquela NOITE | capítulo 6


CENA 1 – INT. / CASA DOS PEREIRA/QUARTO DE MATHEUS – NOITE.
Mariana está andando de um lado para o outro, e Matheus, já acordado, está sentado na cama.
MATHEUS irritado: Você quer parar?
MARIANA: Você tem ideia de como eu me senti quando cheguei aqui e você estava desacordado?
MATHEUS: Você precisa entender que isso vai acontecer outras vezes. Já acordei e está tudo bem.
MARIANA: Eu devia ter ligado para o doutor Jean. E falado com a minha mãe!
MATHEUS: Você não devia ter feito nada. Eu já acordei! Você pode ir dormir agora?
MARIANA se aproxima de Matheus: Você não ouse me deixar!
MATHEUS emocionado: Você acha que vai se livrar de mim assim tão fácil?
MARIANA ri: Eu espero que não!
Mariana beija a testa de Matheus e se deita ao seu lado. CORTA PARA:
CENA 2 – EXT. / RUA – NOITE.
Juliano e Caio estão andando pela rua.
CAIO: Aonde estamos indo?
JULIANO: Não quer passar a noite comigo? Então confia em mim.
Os dois continuam andando e Caio reconhece o caminho.
CAIO: Sério que vamos ficar aqui?
JULIANO: Você pensou que a gente ia onde?
CAIO: Eu queria ficar com você.
JULIANO: Você está comigo.
Os dois chegam no trapiche e se sentam um ao lado do outro.
JULIANO: Você não acha que está muito velho para brincar de romance proibido com um aluno?
CAIO: Você é maior de idade e não posso fazer nada se…
JULIANO começa a rir: Você deve achar que eu sou muito ingênuo para cair nesse papo de conquistador barato.
CAIO começa a acariciar o rosto de Juliano: Não é papo de conquistador!
JULIANO: Eu não vou discutir, apenas te lembrar que esse é nosso último contato sem ser de aluno e professor.
Caio tenta beijar Juliano que se afasta.
JULIANO: Dez minutos atrás você estava chorando.
CAIO: Foi um momento de fraqueza, mas passou.
JULIANO: Não concordo com algumas atitudes suas. Sua mulher?
CAIO fica com os olhos cheios d’água: Eu magoei minha mulher da pior maneira.
JULIANO: Por isso estava chorando?
CAIO: Eu não quero falar sobre isso.
JULIANO: Você prefere colocar um sorriso no rosto, transar comigo e fingir que está tudo bem?
CAIO: Essa era a intenção!
JULIANO se levanta: Você não vai mais me usar para se sentir bem consigo mesmo. Eu tenho mais o que fazer!
CAIO se levanta e o pega pelo braço: Calma! Não vai embora!
JULIANO: Você deveria rever suas atitudes e escolhas. Acha que é justo o que faz com a Nádia? E se eu acreditasse nas suas palavras, você já pensou no quanto isso me faria sofrer? Já lidei com homens como você, nunca termina bem pra mim.
Juliano vai embora e deixa Caio sozinho. CORTA PARA:
CENA 3 – INT. / CASA DOS PEREIRA/QUARTO DE MATHEUS – NOITE.
Matheus e Mariana estão deitados um do lado do outro conversando.
MATHEUS: Quando você descobriu que estava apaixonada pela Tereza?
MARIANA: Acho que eu nem lembro mais.
MATHEUS: Mas é algo muito forte? Do tipo, você largaria tudo por ela?
MARIANA: É muito forte! Ela me faz sentir coisas que nem eu entendo.
MATHEUS: É recíproco?
MARIANA muda o tom de voz: Não! Tereza tem uma alma livre, não se apega!
MATHEUS: Ela pode ter a alma livre, mas acho que isso é só uma questão de não ter se apaixonado ainda.
MARIANA: Pode ser, mas desde o dia em que conheci ela, tenho a certeza que vai ser muito difícil alguém prendê-la.
MATHEUS: Mas se apaixonar não é tipo uma prisão.
MARIANA: Quem disse?
MATHEUS: Eu digo. Se você acha que é, você se apaixonou errado.
MARIANA: É quase uma prisão! Você deixa de viver sua vida para viver aquilo com a pessoa. É intenso, louco e isso é bom, mas não é a mesma coisa que estar sozinha.
MATHEUS: Acho que se apaixonar é tipo você querer dividir suas alegrias, tristezas com a pessoa, e obviamente ter as dela compartilhadas com você. Se apaixonar é ver a pessoa com admiração e ter certeza de que encontrou a pessoa certa. Mesmo sendo duas pessoas diferentes vivendo juntas, fazer as diferenças serem o diferencial da relação e da viagem maluca que é uma relação de verdade.
MARIANA: É… acho que é isso também, mas você para pra pensar em tudo o que você disse e me diz se isso não é como uma prisão? Não no sentido negativo da palavra, mas no sentido em que é duas pessoas fazendo dois mundos virarem um. Não vejo a Tereza compartilhando seu mundo com alguém!
MATHEUS: Talvez você não conquiste ela por isso. Será que ela não está esperando alguém que não tenha essa visão dela e arrisque?
MARIANA: O que você quer com esse papo de pessoa apaixonada? Você está apaixonado por alguém?
MATHEUS ri: Não! Só acho que a gente perde muito tempo criando teorias sobre a pessoa de quem a gente gosta e não arrisca. E se o mundo acabasse amanhã?
MARIANA: Está me dizendo para tentar falar com ela?
MATHEUS: Se você quer conhecer o mundo de outra pessoa, fale pra ela. Você sabe como o tempo é curto e a gente nunca sabe o que nos aguarda.
MARIANA começa a se emocionar: Você tinha que voltar nesse assunto?
MATHEUS: Eu só quero ir com a certeza de que você está aproveitando a sua vida sem medo.
Os dois se abraçam e Mariana começa a chorar.
MATHEUS: Não precisa chorar!
MARIANA soluçando: Impossível!
MATHEUS começa a chorar também: Pronto! Acabou em choro! É isso que dá uma conversa de um pisciano e uma canceriana.
Os dois começam a rir. CORTA PARA:
CENA 4 – INT. / RESIDÊNCIA DA FAMÍLIA NUNES/SALA DE ESTAR – NOITE.
Flávia e Caroline estão assistindo filme de terror e comendo pipoca. Depois de um tempo, o filme termina.
CAROLINE: Já é super tarde e preciso acordar cedo. Boa noite mãe!
FLÁVIA: Boa noite filha!
CAROLINE vai até a mãe e beija sua testa: Eu amei o nosso momento, precisamos fazer mais vezes!
FLÁVIA: Com certeza! Boa noite!
Caroline vai para o quarto. Flávia se levanta, respira fundo e também vai para o seu. CORTA PARA:
CENA 5 – EXT. / RUA/FRENTE DA CASA DE JULIANO – NOITE.
Juliano chega perto de sua casa, mas não entra e dá meia volta. Ao som de “Home – Gabrielle Aplin” ele começa a andar rápido para voltar para o trapiche. CORTA PARA:
CENA 6 – EXT. / TRAPICHE – NOITE.
Caio está sentado e após encaminhar uma mensagem, coloca seu celular no bolso. Pouco tempo depois, um garoto de mais ou menos 24 anos aparece.
CAIO: Você demorou!
RENATO: Não conhecia esse lugar, demorei um pouco para achar.
CAIO: Então vamos ao que interessa!
Renato se aproxima para beija-lo, mas Caio se afasta.
CAIO: Eu deixei bem claro que não curto beijar.
Caio abre a calça e Renato se abaixa. Nesse momento, Juliano chega e se depara com a cena.
CENA 7 – INT. / RESIDÊNCIA DOS NASCIMENTO/QUARTO DE TADEU – NOITE.
Tadeu está deitado mexendo no celular quando escuta algo em sua janela. Ele fica incomodado, mas não se levanta para ver. Quando o barulho continua por um tempo, ele levanta irritado e vai até a janela, ao se deparar com Manuela jogando pedras em sua janela. Ao vê-lo, faz um gesto para ele ir falar com ela. CORTA PARA:
CENA 8 – INT. / RESIDÊNCIA DOS NASCIMENTO/SALA DE ESTAR – NOITE.
Apressado, Tadeu desce as escadas e sua mãe lhe repreende.
WILMA: Aonde você pensa que vai?
TADEU: Tereza está me chamando.
WILMA: Essa hora?
TADEU: Desde quando você controla meu horário?
WILMA: Que bicho te mordeu pra ser malcriado?
TADEU: Eu realmente preciso sair.
Sai de casa apressadoCORTA PARA:
CENA 9 – EXT. / RUA/FUNDOS DA RESIDÊNCIA DOS NASCIMENTO – NOITE.
Tadeu se aproxima de Manuela.
MANUELA sorri ao ver Tadeu: Você não imagina o quanto eu esperei por esse momento!
TADEU: O que você quer comigo?
MANUELA se aproxima mais um pouco de Tadeu: Você lembra que a gente vinha pra cá no início do nosso namoro? Ficávamos horas e horas sentados embaixo daquela árvore.
TADEU começa a rir: O que você está tentando fazer?
MANUELA: Por qual motivo está rindo?
TADEU: Porque a única explicação para esse show que você está fazendo é você ser uma artista. De circo.
MANUELA: Desde quando você fala dessa forma comigo?
TADEU com ódio: Desde o dia em que você sumiu sem se despedir. Não respondeu minhas mensagens. Jogou no ralo tudo o que a gente viveu. O que você quer voltando aqui?
MANUELA chora: Eu quero te pedir perdão.
TADEU ri ainda mais: Você quer é recuperar tudo o que perdeu. Vejo no teu olhar o quanto infeliz e sozinha você está. Você acha mesmo que eu sou idiota?
MANUELA: Parece que eu estou vendo a Tereza na minha frente.
TADEU se irrita ainda mais e grita: O que você quer comigo? O que veio fazer aqui?
MANUELA: Você quer falar baixo? Você acha que eu não vi que sua mãe está em casa?
TADEU: Se você não tem mais o que falar, pode ir embora.
MANUELA: Eu preciso de dinheiro. Você quer que eu me humilhe? Então eu vou me humilhar. Eu preciso de dinheiro e não tenho mais pra quem correr!
TADEU: Você é muito cara de pau! Eu espero que da mesma forma que entrou, saia da minha casa sem deixar rastros.
Tadeu se vira para entrar em casa, mas Manuela lhe pega pelo braço e lhe beija.
MANUELA: Diz que não sente mais nada por mim! Diz que não quer mais os meus beijos!
TADEU afasta Manuela: A única coisa que eu sinto por você é ódio.
Tadeu consegue sair e voltar para casa. Manuela, ainda no quintal, senta no chão e começa a chorar compulsivamente. CORTA PARA:
CENA 10 – EXT. / TRAPICHE – NOITE.
Caio afasta Renato. Juliano sorri com a cena.
JULIANO: Você quer conversar agora sobre nunca ter se envolvido com outro cara além de mim? Você é patético.
RENATO sem entender o que está acontecendo: Quem é esse?
CAIO fechando as calças: Eu posso explicar!
JULIANO: Você não me deve explicações.
Juliano sai e Caio vai atrás dele.
RENATO: Você vai me deixar aqui?
CAIO: Você não veio comigo!
Caio vai atrás de Juliano. CORTA PARA:
CENA 11 – INT. / APARTAMENTO DOS CORREA/QUARTO DE JULIANO – NOITE.
Juliano entra no quarto, arrasado, fecha a porta e chora.
JULIANO: Eu sabia que esse seria o final, eu sabia! Eu e a minha mania de acreditar nesses merdas! Que ódio!
Nesse momento, o celular de Juliano recebe uma mensagem.
38ATV: Eu preciso falar com você! Por favor venha conversar comigo!
Juliano bloqueia o usuário. CORTA PARA:
CENA 12 – EXT. / RUA – DIA.
Tereza e Tadeu estão andando em direção a faculdade.
TEREZA: O que você precisa tanto me falar que não podia esperar chegar na faculdade?
TADEU: Ontem a Manuela esteve lá em casa.
TEREZA surpresaO que? O que aquela dissimulada queria? Você não fez merda né Tadeu?
TADEU: Eu a expulsei de lá. Doeu, mas quando vi ela na minha frente… eu só senti ódio!
TEREZA vibra: O gigante acordou!
Os dois vão caminhando quando em determinado momento percebem alguém jogado em uma calçada. Eles, assustados, se aproximam e percebem que é uma mulher desacordada com lixo em cima.
TADEU olha para Tereza assustado: Está morta?
TEREZA assustada: Não sei! A gente deve conferir ou chamamos a polícia?
TADEU olha para os sapatos da mulher: Parece que eu conheço esse sapato.
Tadeu se lembra de Manuela no dia anterior em sua casa. Ele, apavorado, destampa o rosto da jovem, e confirma a identidade.
TADEU desesperado: É a Manuela!
FIM DO CAPÍTULO 6

Nenhum comentário