depois daquela NOITE | capítulo 8


CENA 1 – INT. / APARTAMENTO DE TEREZA/SALA DE ESTAR – DIA.
Na porta, Tereza faz sinal para Manuela entrar e ela se senta no sofá.
TEREZA sem paciência: O que você quer tanto falar com a gente? O que está rolando? E pensa muito bem se for contar alguma mentira.
MANUELA: Você vai me deixar falar ou vai continuar falando sem parar?
TEREZA sem paciência: É que eu realmente não acredito que estou te dando a oportunidade de falar depois de tudo o que você fez com a gente.
MANUELA se levanta do sofá alterada: O que eu fiz? Me diz! O que eu fiz diferente do que você faz desde quando eu te conheço?
TEREZA altera a voz: Agora você quer falar sobre mim?
MANUELA irritada: A única coisa que eu fiz foi ir atrás do que eu achava ser melhor pra mim. E se isso te incomodar, você é hipócrita!
TADEU grita: Chega! Vocês duas parem com isso! Você quer falar Manuela? Então fale logo para sumir daqui o quanto antes!
MANUELA se acalma e seus olhos enchem de lágrimas: Você eu entendo me odiar. Você eu entendo! Mas você sabe que eu nunca quis te magoar.
TADEU se mostra indiferente: Não, eu não sei. Até porque você nunca falou comigo né? Simplesmente sumiu.
Tereza respira fundo para continuar aquela conversa. CORTA PARA:
CENA 2 – INT. / APARTAMENTO DOS CORREA/QUARTO DE JULIANO – DIA.
Caio coloca a roupa enquanto Juliano está deitado.
JULIANO: Quando que eu vou conseguir me livrar de você?
CAIO se aproxima de Juliano: Você quer se livrar de mim?
JULIANO: Entenda que isso aqui não significa nada mais que sexo.
CAIO: Você vai se apaixonar da mesma maneira que eu me apaixonei por você.
JULIANO ri: Deixa de ser idiota. Apaixonado, mas no primeiro momento chamou outro pra terminar o serviço que eu deixei pela metade.
CAIO: Aquilo foi um erro.
JULIANO: Você precisa ir antes que a minha mãe bata aqui!
CAIO: Eu já vou! E quando a gente vai se ver novamente? Você me bloqueou no aplicativo.
JULIANO: Eu não sei! Vai embora!
CAIO beija Juliano: Você vai me desbloquear?
JULIANO: Vou pensar no seu caso. Agora vá!
CAIO antes de dar um último beijo em Juliano: Pensa com carinho!
Caio sai e Juliano suspira na cama. CORTA PARA:
CENA 3 – INT. / MORRO/CASA DE MÁRCIO – DIA.
Renato está se arrumando quando Márcio entra no quarto.
MÁRCIO: Aonde você pensa que vai?
RENATO: Vou dar um rolê lá embaixo.
MÁRCIO: Com quem?
RENATO: Sozinho.
MÁRCIO: E que tanto perfume é esse? Virou mulherzinha para se emperiquitar tudo pra sair?
RENATO irritado: Ficou louco? Vê se me erra mano!
MÁRCIO dá dois tapas nas costas de Renato: Era só o que me faltava ter irmão boiola mesmo. Mas eu to zoando. Vai lá!
Renato se prepara para sair quando Márcio o chama novamente.
MÁRCIO: Você viu onde aquela vaca foi?
RENATO: Ela saiu já faz um tempo, mas não me disse onde ia.
MÁRCIO: Essa vaca ainda vai me dar dor de cabeça. Parece ser mais problemática que aquele namoradinho frouxo que era o Leandro.
RENATO: Tenha paciência! Ela vai conseguir o dinheiro!
MÁRCIO irritado: Não sou Deus para fazer milagre. Já dei muito tempo pra ela! Ou ela me trás a grana ou vai terminar como aquele frouxo.
Renato teme, mas não deixa transparecer. CORTA PARA:
CENA 4 – INT. / APARTAMENTO DE TEREZA/SALA DE ESTAR – DIA.
Tadeu senta ao lado de Tereza e os dois começam a escutar Manuela.
MANUELA: Eu conheci o Leandro em uma festa que fui da faculdade e foi conexão de primeira. A gente já não estava bem fazia muito tempo Tadeu, e toda vez que eu tentava conversar contigo você desviava o assunto. Então acabou que eu me envolvi com ele e me apaixonei. Eu nunca mais tinha sentido aquela sensação de felicidade. Eu realmente o amei.
TEREZA: E aí resolveu esquecer todos os seus amigos e voltar a lembrar só depois do pé que levou?
MANUELA se emociona: Eu não levei um pé Tereza. O Leandro morreu faz duas semanas.
TADEU sem acreditar: O que?
TEREZA abaixa o tom: Por essa eu não esperava!
MANUELA: O Leandro era um cara incrível, mas ele tinha um defeito. Um vício. E no início era massa, a gente usava em festa, e tudo parecia estar controlado. Mas ele se envolveu com gente da pesada e não deu conta.
TADEU preocupado: Foram essas pessoas que te machucaram?
MANUELA chora: Sim.
TADEU irritado: E o que você está esperando para ir na polícia?
MANUELA: Você acha mesmo que a polícia vai me proteger? Só vai fazê-los virem mais rápido atrás de mim.
TEREZA: E o que você planeja fazer? Você usa essas merdas também? O que você tem na cabeça?
MANUELA irritada: Como se você nunca tivesse usado nada.
TEREZA: Vê se eu me meti com gente assassina? Vê se sou eu que estou desesperada tendo que fugir de sei lá o que? Não adianta vir desabafas e não estar pronta para ouvir Manuela. Esse sempre foi seu problema!
MANUELA chorando: Eu não consegui terminar com você, Tadeu. E é por isso que eu simplesmente fui embora. E nem foi pra tão longe, estou morando no morro. Estou morando na casa que era do Leandro. Mas lá é complicado de eu ficar…
TEREZA: Você está devendo?
MANUELA: Sim. Por isso eu vim pedir ajuda. Eu não tenho mais ninguém para contar, e entendo a raiva que sentem de mim. Mas eu juro que não fiz por mal. Eu só fui atrás da minha felicidade. Vocês estão me entendendo?
TADEU: Você abandonou tudo o que a gente viveu para se transformar nisso? Eu sentia raiva por imaginar que estava bem e que tinha me deixado por algo melhor. Mas vendo você agora… eu sinto pena de você! E raiva por ser tão burra!
Tadeu se levanta e sai. Tereza vai até ele no corredor.
TEREZA: O que você pensa que está fazendo?
TADEU: A tratando como ela merece.
TEREZA: Você tem que entender que agora isso não se trata de você.
TADEU: Você quer o que?
TEREZA: Que deixe a mágoa para depois, e veja com os olhos que você veria se fosse qualquer outra pessoa.
TADEU: Pra mim não dá! Você pode querer lidar com isso, mas eu não quero.
Tadeu sai e deixa Tereza falando sozinha. Tereza volta para o apartamento.
MANUELA: Ele deve me odiar!
TEREZA: Nesse momento sim. Mas ele vai superar!
MANUELA: Desculpa trazer tudo isso depois do que eu fiz, mas eu não sabia para onde ir.
TEREZA: Você pode ficar aqui hoje. Amanhã a gente vê o que faz! Eu preciso pensar um pouco!
Tereza vai para o quarto. CORTA PARA:
CENA 5 – INT. / CASA DOS MOTTA/ENTRADA – NOITE.
Ao som de “Unsaid – Ruel”, Caio entra sorridente no apartamento e se depara com Nádia sentada a sua espera.
NÁDIA: Aonde você estava?
CAIO: Estava andando por aí.
NÁDIA: Você acha que eu sou burra?
CAIO: Do que você está falando?
NÁDIA grita: Quem é a vagabunda!
Nádia se levanta e começa a cheirar o pescoço de Caio.
NÁDIA possessa: Ela deve ter deixado alguma marca. Afinal, é isso que vagabundas fazem.
CAIO irritado: Você ficou louca?
NÁDIA chora: Quem é você?
CAIO sem reação: Do que você está falando?
NÁDIA chora: Quem é esse homem que está aqui na minha frente? Aonde está aquele homem que eu casei há anos? Eu não te conheço mais.
CAIO enxuga as lágrimas de Nádia: Não fica assim! Eu só estou passando por um momento difícil, mas não é nada com você.
NÁDIA: Quando você vai entender que tudo que acontece com você respinga em mim? E quando você vai entender que eu estou carregando um filho teu? Você vive como se isso não estivesse acontecendo.
CAIO: Eu não vou negar! Eu não quero esse filho! E eu preciso me acostumar com a ideia de que eu vou ser pai daqui alguns meses, então você precisa me respeitar.
NÁDIA: Respeito? Então vamos falar de respeito!
Nádia pega a mão de Caio e coloca em sua barriga.
NÁDIA: Eu já o sinto dentro de mim, então não é daqui uns meses que eu vou me tornar mãe. Eu já sou mãe. Ele está aqui vivo. E ele não merece um pai como você.
Nádia deixa Caio sozinho e vai para o quarto aos prantos. CORTA PARA:
CENA 6 – INT. / CASA DOS PEREIRA/QUARTO DE MATHEUS – NOITE.
Matheus está deitado quando Mariana bate na porta.
MARIANA: Tem alguém aqui querendo falar com você.
MATHEUS: O Tadeu? Ele me mandou mensagem! Pode mandar entrar!
Nesse momento, Tadeu entra e Matheus se levanta.
MATHEUS: O que houve? Que cara é essa?
TADEU: Desculpa vir aqui sem avisar, mas eu precisava conversar com alguém.
MATHEUS: Não precisa pedir desculpa! Senta! O que houve?
Tadeu e Matheus começam a conversar. CORTA PARA:
CENA 7 – INT. / APARTAMENTO DE TEREZA/SALA DE ESTAR – NOITE.
Manuela está no mesmo lugar. Tereza sai do quarto.
TEREZA: Você pode tomar um banho se quiser.
MANUELA: Eu estava pensando e acho melhor ir para casa. Eu não quero atrapalhar e nem envolver vocês nos meus problemas…
TEREZA: Tarde demais!
MANUELA: Vocês não têm nada com isso!
TEREZA: Nós éramos amigas e talvez você tenha razão em dizer que eu sou um pouco hipócrita. Acho que todos somos um pouco. Eu vou te ajudar, mas eu preciso que você me prometa que não vai mais usar essas merdas Manuela.
MANUELA emocionada: Eu estou parando! Parei! Eu juro!
TEREZA: O Tadeu vai conseguir te perdoar, e isso é engraçado porque eu era a primeira a dizer para ele nunca fazer isso. Mas ele vai, ele tem um coração incrível!
MANUELA chora: Obrigada!
As duas se abraçam. CORTA PARA:
FIM DO CAPÍTULO 8

Postar um comentário

0 Comentários