Gêneros Cinematográficos: Musical | Papo de Cinema

No Papo de Cinema de hoje, entraremos naqueles filmes em que o gogó de nossos atores é que conta história, estamos falando do gênero: Musical. Usarei de exemplos, filmes como: High School Musical, La La Land, Nasce uma Estrela. Lembrando que todo esse estudo é baseado no livro “Gêneros Cinematográficos” de Luis Nogueira.

Segundo Nogueira, o musical cresceu nos anos 30,40, e 50 em tempos de crise política e social. O gênero acaba assumindo a forma como válvula de escape e de enfrentar uma dura realidade de  maneira leve, mais de outro jeito de incomodar.

“A música é aqui assumida não apenas como um complemento dramático das situações ou da caracterização das personagens, mas como um dispositivo narrativo em si mesmo – a música não se sobrepõe à trama a partir do seu exterior, mas surge a partir da própria vivência das personagens e determina os seus comportamentos. Quer isto dizer que a própria música detém um papel singular na morfologia da narrativa”. Prova disso é High Schol Musical, responsável por se tornar um musical teen bem feito que virou febre entre a galerinha dos hormônios agitados. Gabriella e Troy Bolton se conhecem em uma  festa de virada de ano e cantam  “Star Of Something New”, a música aqui, além de contar parte da narrativa em que os personagens  estão vivendo, o começo de algo novo e uma nova amizade que se começa dali. A música é parte essencial da história e ela que guia como todo enredo vai andar e como esses personagens vão agregar com a música, aqui é a música que direciona todo o sentimento e o que cada um sente.

“Os momentos, os números ou as sequências cantadas e dançadas pelos protagonistas são, portanto, o elemento formal distintivo do musical. Nesses momentos, as personagens expõem os seus sentimentos e pensamentos, as suas motivações ou decisões, agindo muita vezes como se de um bailado ou de uma ópera se tratasse.” Outro exemplo disso é que La La Land, filme de 2016 que tem uma abertura incrível com números de dança, cantos e atuações, aqui é só uma abertura até chegarmos em nossos protagonistas Sebastian Wilder (Ryan Gosling) e Mia Dolan (Emma Stone), Another Day of Sun é todo filmado em um plano sequência, cheio de ritmo e cores, os personagens secundários além de contar seus sonhos, até  o jeito da luz dessa cena é uma fotografia completamente quente e cheia de vida.

“Quer isto dizer que a própria música detém um papel singular na morfologia da narrativa. Se existe aspecto que nitidamente distingue o musical clássico dos outros gêneros é precisamente a utilização que faz da banda sonora, de algum modo integrando a música no próprio universo diegético, desafiando a própria verossimilhança da história que se conta quando os personagens começam o canto e a dança de modo inusitado. ”Nasce uma Estrela”, filme  dirigido por Bradley Cooper e a convidada foi ninguém menos que Little Monster, Lady Gaga. A trama preocupa em contar a Ascenção de  Ally no mundo da música em sua união com Jack, um cantor frustrado com sua carreira que decide dar a chance para uma desconhecida. Analisando a frase do autor acima, acho isso muito válido, é praticamente a banda que é responsável pelo o universo em que estamos envolvido dentro de uma unidade no filme. A música “Shallow”, single do filme, durante a narrativa, notamos que ela foi composta do lado de fora de um supermercado, após Ally defender Jack de um bêbado que o ofendeu e em resposta ela deu um soco na cara e que após o desentendimento Jack a leva a um supermercado, comprando os produtos para poder de alguma forma melhorar o estado da mão de Ally. Após algumas cenas, vemos a mesma música, cantada a plenos pulmões a um público gigantesco, entende, como a música é parte essencial da narrativa?

O gênero musical é aquele que a grande maioria dos cinéfilos ama, citei alguns exemplos aqui, mas ainda a uma gama de filmes enormes de musicais que são consagrados. Vale ressaltar que  o musical é praticamente um membro enraizado da cultura americana, desde a influência da Broadway, a construção da narrativa entre juntar música, atuação e dança em uma obra como o “Cantando na Chuva” e a própria atualização do gênero em apropriar de determinados gêneros musicais como o rock ou o pop e trazer novas possibilidades. “Nasce uma Estrela” é prova de que a história já foi contada de várias vezes mais nunca da mesma forma ou da mesma  música.

O que você acha desse gênero? Deixe nos comentários!



Postar um comentário

0 Comentários