depois daquela NOITE | último capítulo



CENA 1 - INT. / EXT/CARRO - DIA.

Tony está no volante e dirigindo em alta velocidade. Cecília está apreensiva e Tereza não esconde o medo. Tony não respeita as leis do trânsito e segue em alta velocidade colocando a vida de todos em risco. 

CECÍLIA: Você ficou louco? Quer matar a gente antes de colocar a mão no dinheiro?

TONY nervoso: Cuida da patricinha que da direção cuido eu. 

Nesse momento, o carro quase bate em outro, e Cecília grita assustada.

CECÍLIA nervosa: Você quer ir mais devagar? Você ainda vai fazer uma merda!

TONY grita: Eu mandei calar a boca e me deixar dirigir. 

Tereza fica em silêncio. Tony entra em uma avenida deserta e com muito mato aos redores.

TEREZA com medo: Para onde estão me levando?

CECÍLIA: Fica quieta! Ninguém mandou falar!

Nesse momento, Tony está dirigindo quando percebe alguém parado mais adiante. 

TONY: O que aquele idiota está fazendo lá?

O carro se aproxima, mas o rapaz não se mexe. Mais perto, vimos que se trata de Matheus. Tony, ao reconhecer, se assusta e perde a direção do carro. Todos gritam assustados. CORTA PARA:

CENA 2 - INT. / HOSPITAL/RECEPÇÃO - DIA.

Manuela e Juliano estão com o médico.

MANUELA: Fala logo, doutor. Teve alguma mudança? 

DOUTOR: Temos ótimas notícias! O Renato acordou do coma e já está no quarto após a realização de alguns exames. Ele ainda precisa ficar em observação, mas logo deve receber alta. Podem comemorar, o pior já passou!

Manuela e Juliano se abraçam emocionados.

JULIANO radiante: E quando eu posso visitar ele?

DOUTOR feliz: Agora mesmo se vocês quiserem!

MANUELA: Eu vou deixar vocês sozinhos por enquanto, mas eu volto logo tá? 

JULIANO: Onde você vai?

MANUELA: Eu tenho um assunto pendente pra resolver. 

Manuela abraça o amigo e sai. CORTA PARA:

CENA 3 - INT. / CASA DA FAMÍLIA NUNES/QUARTO DE CAROLINE - DIA.

Caroline está arrumando as suas coisas agora que voltou a morar com a sua mãe. Flávia aparece na porta.

FLÁVIA: O almoço está quase pronto! Quer terminar aí ou já posso servir?

CAROLINE: Pode servir! Eu estou morrendo de fome!

FLÁVIA: E eu convidei a Nádia para vir comer. Ela estava sozinha e resolvi chamar.

CAROLINE: Tá bom. Ela chegando pode me chamar que eu desço. 

FLÁVIA: Ok! 

Alguém aperta a campainha. 

FLÁVIA: Deve ser ela!

Flávia vai atender a porta e Caroline para o que está fazendo para ir comer, por tanto, quando Flávia abre a porta é Teodoro do outro lado.

FLÁVIA: O que você está fazendo aqui?

TEODORO: Acabou a palhaçada! Essa casa é minha e é aqui que eu vou ficar. 

Flávia fica sem reação. CORTA PARA:

CENA 4 - EXT. / RUA - DIA. 

Vimos a rua em que Tony perdeu o controle do carro. O carro está no mesmo lugar, mas vimos Tereza frente a frente com Matheus. 

TEREZA: O que você está fazendo aqui?

MATHEUS: Eu vi que você precisava de mim. E sabe, aquela que está no carro é um problema meu também.

TEREZA olha ao redor e para as próprias mãos: Eu morri?

MATHEUS: O que você acha? 

TEREZA fica emocionada: Eu não sei. 

MATHEUS: Promete pra mim que não vai se culpar por nada que aconteceu? 

TEREZA emocionada: Você veio dizer que me perdoa?

MATHEUS: Não existem motivos para que eu tenha que te perdoar de algo.

TEREZA: Então o que você veio fazer aqui?

MATHEUS: Eu já falei. Aquela que está no carro é um problema meu. 

TEREZA: Então essa é a última vez que eu te vejo?

Matheus faz um sinal com a cabeça. 

TEREZA: Você está bem?

MATHEUS: Eu vou estar bem se as pessoas que eu amo também estiverem. Promete?

TEREZA chora: Eu devia ter pelo menos me despedido e dito que te amava.

MATHEUS sorri: Eu sei de tudo isso, mesmo você não me dizendo em palavras. Você não deve se sentir culpada por nada e só lembrar do quanto a gente foi feliz no tempo que tínhamos que ser.

Tereza tenta se aproximar de Matheus, mas nesse momento, tudo fica preto. No carro, Tereza abre os olhos e olha ao redor. Seus olhos estão molhados. Ela percebe que o carro está parado no mesmo lugar e Tony e Cecília estão do lado de fora discutindo. CORTA PARA:

CENA 5 - INT. / CASA DA FAMÍLIA NUNES/SALA DE ESTAR - DIA.

Teodoro entra sem ser convidado.

FLÁVIA: O que você está fazendo aqui?

CAROLINE irritada: Você não cansa de passar vergonha?

TEODORO: Essa casa é minha e eu não vou abrir mão dela. 

CAROLINE gargalhando: E você lembrou disso quando?

FLÁVIA: Você sabe que perdeu qualquer direito sobre a gente quando saiu por essa porta para viver com outra mulher. Abandou sua filha e a casa que você enche a boca pra chamar de sua. Se você não sair em menos de um minuto vou chamar a polícia. Você quer um escândalo ou prefere fazer o que eu estou mandando?

TEODORO irritado: Isso é uma afronta! Você não se considera uma feminista minha filha? O que vocês acham sobre viver em um casamento fracassado com uma mulher fria que não sabe satisfazer um homem? Vocês são a favor de um casamento infeliz em nome da moral e dos bons costumes?

FLÁVIA sorri: Você está vendo o papel ridículo que você está fazendo na frente da sua filha? Você deveria se envergonhar.

CAROLINE: Você quer que eu ligue para a polícia mãe?

Nesse momento, Nádia chega. 

NÁDIA: Eu estou atrapalhando algo? Posso voltar mais tarde. 

FLÁVIA: Claro que não! Ele já estava de saída!

TEODORO: Você tenta colocar um pouco de juízo na cabeça de sua amiga.

NÁDIA: Amiga? Faz tempo que não somos amigas.

TEODORO surpreso: Do que você está falando? 

NÁDIA pega na mão de Flávia: Perdeu! Vaza! Você não vai querer que eu acione o meu advogado. Sabe o Caio? Perdeu tudo por conta de uma traição, imagina você que traiu, abandonou a filha e agora quer voltar pois levou um pé na bunda. Esses casos comovem e você não vai ser nada além do vilão. 

Teodoro olha com reprovação para as duas e sai com raiva. Logo após Flávia fechar a porta, as três caem na gargalhada. CORTA PARA:

CENA 5 - INT. / HOSPITAL/QUARTO - DIA.

Ao som de "Why - Shawn Mendes", Juliano entra no quarto e seus olhos se encontram com os de Renato. 

JULIANO emocionado: Você nunca mais me dá um susto desses.

RENATO: Você já vai chorar? Achei que o sentimental aqui era eu.

JULIANO pega na mão de Renato: Você me perdoa por ter mandado aquela mensagem?

RENATO sorri: Você não tem culpa de nada. Mais cedo ou mais tarde ele ia descobrir, só não achei que a reação seria nessa proporção e me deixaria na cama de um hospital por dias, mas... eu sabia que não seria fácil. 

JULIANO: Você chegou a ler?

RENATO: Não. Não deu tempo. 

JULIANO: Por um lado é bom. Sabe quando você está apaixonado e acaba escrevendo uma sucessão de clichês tipo filme água com açúcar americano?

RENATO: Que engraçado né? Esses filmes sempre foram os meus favoritos. 

JULIANO chora: O que vai ser daqui pra frente?

RENATO: Primeiro eu preciso entender como estão as coisas lá fora. O meu irmão foi solto?

JULIANO: A Manuela é quem está por dentro do caso do seu irmão, mas ao que parece ele não foi solto e nem vai ser. Além da agressão, foram pegos com ele alguns tipos de drogas. 

RENATO fecha os olhos e se emociona: Eu sabia que isso ia acontecer! 

JULIANO: É por isso que você nunca falou sobre a sua família e dizia não querer ter um relacionamento? Que tudo seria complicado demais?

Renato só responde com a cabeça enquanto seus olhos derramam as lágrimas que ele estava segurando. 

JULIANO: Ele não vai poder te machucar mais!

RENATO: Ninguém vai entender, mas eu não estou chorando por isso. Márcio foi meu pai desde quando nossos pais se foram. Bom ou ruim, foi ele quem me colocou numa escola, me buscou, me cobrou e quis que eu fosse um ser humano melhor que ele. Eu sabia que ele descobrir que eu era gay, seria o fim dessa relação. Seria o fim da única família que eu tive. 

JULIANO emocionado: Eu imagino o amor que você deve sentir por ele, mas você é jovem e tem uma vida toda pela frente. Um dia ele pode aceitar você. E um dia você pode ter a sua família. Alguém que te ame do jeitinho que você é. 

RENATO chora: Eu só queria que tudo fosse mais simples sabe?

JULIANO: Viver não é simples pra ninguém. 

Juliano aperta a mão de Renato com carinho. CORTA PARA:

CENA 6 - EXT. / MORRO/ESCADA - DIA.

Ao som de "Modo Turbo - Luísa Sonza, Pabllo Vittar e Anitta", Manuela sobe as escadas do morro apressada e com raiva. Mesmo sem sabermos o que ela está falando, conseguimos entender que ela está procurando alguém. É uma cena rápida onde a personagem está agitada assim como a música. 

Após pegar informação com algumas pessoas, ela chega até a frente de uma casa onde algumas pessoas estão fumando e conversando. Inclusive, Catarina. Catarina nota a presença de Manuela. 

MANUELA com raiva: É hora de a gente acertas as contas!

Ao entender do que Manuela fala, Catarina tenta correr, mas tropeça e cai. Manuela chega até ela e a pega pelo cabelo.

MANUELA com ódio: Não adianta tentar fugir que eu te acho até no inferno!

CATARINA grita: Me solta sua louca!

MANUELA com ódio: Você tem razão! Eu tô muito louca!

Manuela começa a arrastar o rosto de Catarina no chão até fazer sangue. Logo depois, ela vira a garota de barriga para cima e começa a dar soco em seu rosto. Ali, ninguém se mete. 

MANUELA com ódio: Você vai pensar MUITO antes de acabar com a vida de alguém. Ou tentar. Meu amigo está vivo. E isso é por ele!

Manuela continua a agredindo. Catarina fica sem força e muito machucada. Manuela sai de cima dela e levanta. 

MANUELA: Se não existe sentimento dentro desse peito para o que você fez deixar alguma marca, eu espero que essa surra deixe algum vestígio. E toda vez que você olhar vai lembrar de mim. 

Antes de sair, Manuela cospe em Catarina. A música termina com Manuela saindo plena e Catarina ainda no chão. CORTA PARA:

CENA 7 - EXT. / CARRO - DIA. 

Tereza repara que os dois estão discutindo ainda sem prestar atenção no carro. Ela pega seu celular, mas está sem área. Ela decide abrir a porta, mas percebe que Cecília está se aproximando e finge estar desacordada ainda. Ela nota que Cecília só foi checar isso e volta para falar com Tony. Tereza abre a porta do carro com cuidado e desce. Nesse momento, ela começa a correr para longe.

TONY grita: A desgraçada tá fugindo! CORRE!

Eles começam a correr atrás dela, e Cecília pega o carro que está com o pneu furado. Tony continua indo atrás de Tereza correndo, mas a garota sai da estrada e vai para o matagal que tem ali ao lado, saindo da vista de ambos. Tony para cansado e observa Cecília se aproximar com o carro. Nesta hora, ao invés de parar, Cecília segue andando com o carro. 

TONY grita: Onde você pensa que vai? Volta aqui desgraçada!

Cecília mostra o dedo do meio para o parceiro e segue viagem. CORTA PARA:

CENA 8 - INT. / APARTAMENTO DE TEREZA/SALA DE ESTAR - NOITE.

Tereza está tomando uma cerveja quando Tadeu chega preocupado entrando no apartamento. 

TADEU nervoso: Que história é essa que você me falou? Você quer que eu morra do coração?

TEREZA: Eu não sabia como contar com jeito sobre a tentativa do meu sequestro. 

TADEU abraça Tereza: Como é que você está? Você está machucada? Precisa de alguma coisa?

TEREZA: Eu estou bem! Eu fui direto para a delegacia e depois eles me trouxeram até em casa. Eu tentei te ligar e pedir ajuda, mas a merda do meu celular estava sem área. Foi uma experiência horrível, mas no final deu tudo certo pra mim. No final deu tudo certo.

Tadeu continua abraçado nela.

TEREZA: Você já pode me soltar?

TADEU: Desculpa! É que é muita coisa nos últimos dias e eu não saberia lidar se algo de ruim acontecesse com você também. Eu não imagino minha vida sem você. Depois da minha mãe você é a pessoa que eu mais amo nessa vida e você sabe disso.

TEREZA emocionada: Eu não sabia, mas agora eu sei. E fico feliz em saber. Eu também amo você amigo. Muito!

Os dois se abraçam novamente e começam a chorar.

TEREZA: Vamos parar com a palhaçada? Vai lá pegar uma cerveja para me acompanhar. Anda! Até parece que é pisciano.

TADEU se levanta para pegar uma cerveja: Engraçadinha.

Nesse momento, Tereza pega seu celular e vê uma foto com Matheus. Ela sorri. 

TEREZA: Eu sei que estar aqui hoje é culpa sua. E eu prometo ficar bem para que você continue bem. Eu amo você.

Tereza bloqueia o celular. Tadeu se aproxima.

TADEU: Falando sozinha?

TEREZA: Agora que cuidar até o que eu faço e deixo de fazer? Isso é uma amizade abusiva, sabia?

Os dois começam a rir. CORTA PARA: 

CENA 9 - INT. / CASA DA FAMÍLIA NUNES/SALA DE JANTAR - NOITE.

SEMANAS DEPOIS...

A música "Lei da Vida - Sabrina Lopes" começa a tocar. Vimos Flávia, Caroline e Nádia jantando e partilhando momentos. Felizes. 

FLÁVIA: Quanto tempo para meia-noite?

CAROLINE: Uma hora!

NÁDIA: Uma hora para o aguardado ano de 2021! Vamos brindar!

FLÁVIA: Mas ainda não é meia-noite!

CAROLINE: E pra que seguir regras? Vamos brindar agora e meia-noite. Vamos brindar todos os dias!

As três brindam. CORTA PARA:

CENA 10 - INT. / APARTAMENTO DE TEREZA/QUARTO - NOITE.

A música continua. Tereza está se arrumando na companhia de Manuela e Mariana, que já estão prontas. Na companhia de uma boa cerveja gelada, as três conversam super entretidas. CORTA PARA:

CENA 11 - INT. / CASA DE CAIO/QUARTO - NOITE.

A música continua. Caio está deitado enquanto um jovem termina de colocar a calça. 

CAIO: Você quer passar a noite aqui?

JOVEM: Não tem como! Minha mãe está me esperando para a virada. Mas podemos marcar outro dia. Foi muito bom!

CAIO: Claro!

O jovem se despede, mas antes de sair coloca uma máscara. Caio se levanta e vai até a janela do quarto olhar a rua, mas não vê ninguém. A rua está vazia. CORTA PARA:

CENA 12 - INT. / APARTAMENTO DOS CORREA/SALA DE JANTAR - NOITE.

A música continua. Vimos Marília, Juliano e Renato juntos. Bebendo, conversando e jogando cartas. CORTA PARA:

CENA 13 - INT. / APARTAMENTO DE TEREZA/SALA DE ESTAR - NOITE.

A música continua. Da janela, os fogos anunciam que o ano novo chegou. Vimos Tereza, Mariana, Manuela e Tadeu se abraçarem e desejarem coisas lindas uns para os outros. Na vez de Manuela e Tadeu, foco no olhar entre os dois de perdão da parte de Tadeu. CORTA PARA:

CENA 14 - APARTAMENTO DOS CORREA/SALA DE ESTAR - NOITE.

A música continua. Juliano pega seu celular que está tocando e atende a chamada de vídeo que Tereza está fazendo.

TEREZA: Amigos, feliz ano novo! 

JULIANO/RENATO: Feliz ano novo!

Cada um fala um pouquinho de modo que sabemos que é felicitações pelo ano que chegou. Todos emocionados. 

TADEU: Esperamos que logo a gente volte para a nossa rotina e que matemos a saudade com muitos abraços! 

JULIANO emocionado: Muitos abraços!

Caroline era a única que estava faltando atender, e atende.

CAROLINE: Feliz ano novo amigos! Que saudade! Que nesse ano possamos estar todos juntos de novo, sem medo! Amo vocês!

Eles conversam mais um pouco e encerram a vídeo chamada. A música termina. CORTA PARA:

CENA 15 - INT. / APARTAMENTO DE TEREZA/SALA DE ESTAR - NOITE.

A música "Lua Cheia - Sandy" começa a tocar. Tereza se aproxima da janela e fixa seu olhar nos fogos no céu. Nesse momento, vimos alguns momentos que ela compartilhou com Matheus e os amigos.

TEREZA (V.O): Depois daquela Noite nada mais foi igual. Eu conheci um sentimento até então ignorado por mim. Eu o senti à flor da pele, mas ainda deixei o medo vencer e me impedir de viver um pouco mais. 

CORTA PARA:

CENA 16 - INT. / CASA DE CAIO/QUARTO - NOITE.

A música continua. Caio está sentado na cama com uma garrafa de vodka. Ele escuta os fogos lá fora.

NÁDIA (V.O): Depois daquela Noite em que perdi a vida que estava dentro de mim, nunca mais fui a mesma. Ele? Destruiu uma vida por ter se apaixonado e não tido a coragem de assumir o que era. Apesar de amenizar com o tempo, essa história me deixou marcas que nem o tempo é capaz de curar.

Caio dá mais um gole na sua bebida e começa a lembrar de momentos junto com Juliano. Pouco tempo depois, ele tem uma forte reação e começa a tossir compulsivamente. Ele vai até o banheiro e toma um remédio, mas não adianta. Ele apaga as luzes e vai deitar, mas ainda escutamos ele tossindo. CORTA PARA:

CENA 17 - INT. / CASA DA FAMÍLIA NUNES/SALA DE ESTAR - NOITE.

A música continua. Vimos Caroline e Flávia juntas novamente, como eram antes de serem abandonadas por Teodoro. Elas brindam mais uma vez enquanto os fogos clareiam o céu lá fora.

CAROLINE (V.O): Depois daquela Noite ela se sentiu abandonada, mas ainda assim teve forças para se reerguer e redescobrir a vida sem aquele que ela achou que seria seu grande amor. E segue vivendo e sorrindo, acompanhada daquelas que ela acredita ser suas parceiras para toda uma vida e que tiveram dores tão profundas quanto as suas.

CORTA PARA:

CENA 18 - INT. / APARTAMENTO DE TEREZA/SALA DE ESTAR - NOITE.

A música continua. Tereza continua olhando para o céu e lembrando de momentos. 

TEREZA (V.O): Depois daquela Noite eu pensei que nunca iria me perdoar. Perdoar o fato de ter deixado o medo me impedir de viver um pouco mais daquele sentimento novo pra mim. Quando somos jovens demais achamos que nada é passageiro e que vamos ter tempo. E eu aprendi da pior forma que nem sempre é assim. A gente perde sim. E triste não é quando perdemos quem amamos para um outro alguém. Triste é quando perdemos para a morte. Ou seria vida? Não sei. A gente se perdoa, mas nunca voltamos a ser as mesmas pessoas. Isso é bom.

Tedeu traz a atenção de Tereza novamente para o que está acontecendo naquele momento.

TADEU: Estava viajando? 

TEREZA: Estava pensando em tudo de louco que me aconteceu esse ano. No quanto eu perdi e ganhei, e como eu entendi da pior maneira que nós não temos controle de nada nem mesmo quando achamos que temos. Mas vem, vamos dançar!

A música termina. Em seguida, começa a tocar "Menina Solta - Giulia Be", Tereza dá um gole em sua bebida e começa a dançar com os amigos.

TEREZA: Vamos brindar! Brindar ao ano novo e ao Matheus, que de alguma forma está aqui com a gente!

Todos brindam felizes. E por um breve momento, vimos Matheus no canto da sala sorrindo. CORTA PARA:

FIM

agradeço todos os leitores que estiveram comigo neste ano tão estranho e atípico. escrever é uma das minhas paixões e eu adoro colocar minha criatividade em linhas para que eu possa compartilhar com quem se interessa. depois daquela noite é uma história especial e eu agradeço cada um que leu. até 2021!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.