Personagens carismáticos tornam "A Lua Me Disse" uma história agradável de assistir

Uma das novelas que estavam na minha lista para maratona, dei start em "A Lua Me Disse" há pouco mais de um mês e após os 50 primeiros capítulos decidi vir deixas as minhas primeiras impressões. 

A novela de Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa já mostra em seu primeiro capítulo que a protagonista, Heloísa (Adriana Esteves), e a vilã Ester (Zezé Polessa), estão de lados opostos na trama. Inclusive, a cena final do primeiro capítulo é um dos momentos memoráveis até aqui, quando Ester solta os cachorros para pegarem Heloísa

A minha impressão até o momento, é que a novela peca em falta de ganchos, e que em alguns momentos nada acontece. A passagem de tempo levou quase dez minutos de cenas descartáveis. Mas apesar desses momentos, em um contexto geral a novela é gostosa, e parte responsável é o texto e os personagens carismáticos criados pelos autores. 

A novela sempre foi citada por situações racistas, mas assistindo novelas dos anos 2000, não acho que seja a que tem mais problemáticas para a época. Ainda tenho uma grande quantidade de capítulos pela frente, mas por aqui a maratona segue gostosinha. 

Pra finalizar, destaco Madô (Débora Bloch), uma personagem cheia de nuances que tenta mudar para salvar o casamento, mas sempre mete os pés pelas mãos; Lúcio (Maurício Mattar) e Violeta (Isabel Fillardis) que se apaixonam, e são um dos meus casais favoritos; Leontina (Aracy Balabanian), vilã que amamos odiar e culpa é da atriz genial; Roma (Miguel Magno), uma personagem que circula pelos núcleos e se destaca por sua inteligência e carisma; Samovar (Cassio Scapin) e Geórgia (Patrícya Travessos), uma dupla que se destaca em diversos momentos da trama.

Postar um comentário

0 Comentários